Publicado por: Flavia Sbragia | 03/10/2010

Pelos encantos da Versila

Hoje vamos falar de um outro dia muito especial. Corpo descansado depois do Palio, é mais um dia de aproveitar os prêmios do concurso. Direito a turismo, com uma van só para nós dois (eu e meu marido) com um guia que se atrapalhava entre o italiano e o inglês (ele sempre fez esse passeio só falando em inglês, era a primeira vez que fazia tudo em italiano) pelo litoral norte da Toscana. A Versila.

Começamos saindo de Viareggio, que faz parte da Versila, e logo após uma ponte, atravessando a “Fossa del Abbade” chegamos em Lido de Camaiore que assim como Forte dei Marmi, é uma cidade litorânea ideal para quem além de freqüentar a praia quer fazer umas comprinhas em lojas famosas. Ah!, por lá encontrei uma autentica loja brasileira, da Triunfo.

Depois de passear por Forte dei Marmi, pegamos estrada e entramos passando por Carrara, Marina de Pietrasanta e finalmente paramos em Pietrasanta.

Cidade pitoresca, pequena e cheia de charme. Duas ruas, a que vai e a que volta. Uma praça, onde encontramos uma igreja fantástica, a San Martino. Ela é branquinha, branquinha. Toda feita em mármore de Carrara. Dentro e fora, toda detalhada.

E por falar em mármore, Pietrasanta é conhecida por seus artesãos. É nela onde são feitas as principais cópias das obras de arte. Um exemplo é o Davi de Michelangelo que encontramos na Piazza della Signoria, seu local original, mas que por obra do tempo, resolveram colocar a verdadeira dentro do museu “Galeria della Accademia”.

A que vemos ao ar livre é uma prefeita cópia vinda de Pietrasanta. Dizem que o próprio Michelangelo rondava a cidade a procuras dos pedaços de mármore que já continham suas obras, era só uma questão de lapidá-la.

No alto de uma subida de montanha fomos admirar a paisagem com a cidade ao fundo e lá no horizonte o encontro da terra com o oceano. Lindo!! Onde estávamos era anteriormente um castelo, a defesa da cidade. Hoje, um lugar de muita beleza e paz. Ótimo para longas reflexões.

Hora do almoço. Nos esperava em Colonnata uma deliciosa degustação de comidas típicas. Subimos aquelas lindas montanhas de mármore, parte dos Alpi Apuane. No caminho, avistamos um senhor apanhando aqueles tão famosos tartufos italianos pelos bosques.

A cidade é bem pequena. Teve sua origem devido aos trabalhadores das minas de mármore, que são logo alí perto. Assim não era necessário subir e descer todos os dias a montanha inteira, lembrando que nos primeiros tempos os carros ainda não existiam.

Chegamos, não tinha lugar para estacionar a van. Parecia que todos os que estavam por perto resolveram conhecer a cidade. Nem o nosso guia estava acostumado com toda aquela gente por alí. Nos disse que normalmente a cidade está vazia e que no restaurante que ele nos levaria almoçavam ele e os seus clientes, mais ninguém. Raro ter a cidade lotada.

Fomos nós, então, para o tal almoço. Será que seria gostoso, teria alguma coisa que eu não conseguiria comer? Bem, começamos com algo que me dizendo na lata do que se trata falo que não coloco na minha boca. É o tal do Lardo de Colonnata. Uma espécie de bacon. Mais a gordura do porco do que qualquer outra coisa.

Ela é armazenada em espécie de caixas de mármore com especiarias e ficam lá curtindo por volta de 6 a 10 meses. Depois disso o que eu posso dizer, saí uma coisa deliciosa. Normalmente não consigo comer gordura assim, nem de picanhas, nem de presuntos. Como estava alí para provar, foi isso que eu fiz. Comi e me fartei de tanto comer, o tal lardo de Collonata é realmente maravilhoso. Quando colocado na boca mais parece um creminho do que qualquer outra coisa. Sinto falta de comer isso por aqui.

Depois de várias entradas, acompanhadas sempre pelos deliciosos pães italianos e de um saboroso vinho legítimo Toscano, e depois seguindo para os vários primeiros pratos, chegamos na sobremesa. Um delicioso sorvete de creme com calda quente de morangos colhidos naquele dia daquela montanha. Muito bom!!

Barriga cheia (Nossa, haja comida!!), fotos feitas, era hora de mais uma aventura. Uma aventura que nunca imaginei um dia ter, conhecer e me encantar. Mas essa esperem o nosso próximo post. Até lá.

*Fotos do arquivo pessoal.

Anúncios

Responses

  1. O lardo de Colonnata (um “l” só e dois “n” – desculpe o ar de professor…rs…rs…) é realmente muito bom. É um dos produtos típicos da Itália que só se tem que comer no lugar onde é produzido. vocês desceram pela estrada que literalmente (com túneis) entra na mármore?
    Abraços

    • Oi Alessandro,
      obrigada, vou corrigir. Acho que foi a saudade de comer um lardo de Colonnata que acabei errando rsrsrrs
      Bem, quanto aos mármores, aguarde o post do próximo sábado!!
      Bjs 😀

  2. Ameeei esse Blog. Parabens!!

  3. Lindooo!!! Eu amo a Itália e amo a língua italiana.
    Tudo e muito belo, ano que vem vou estar lá. E a toscana faz parte do meu roteiro.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: